carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

O Código da Inteligência

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
O Código da Inteligência

Livro Bom - 2 comentários

  • Leram
    8
  • Vão ler
    16
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    3

Autor: Augusto Cury

Editora: Ediouro

Assunto: Psicologia

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 239

Ano de edição: 2008

Peso: 330 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 


Ótimo
Thiago Silvahh
13/07/2019 às 14:16
Catende - PE
Otimo, para aqueles que ingressam na psicologia e querem entender a mente humana e suas perspectivas.

Bom
Marcio Mafra
04/12/2009 às 20:59
Brasília - DF

Augusto Cury depois que descambou a psiquiatria pelas palestras motivacionais e os livros de auto ajuda, ajudou muito a sua conta bancária. Para se renovar (sinal de rara inteligência) criou uma alternativa ao caminho da auto ajuda: a psicologia auto aplicável do tipo "Vendedor de Sonhos". Assim é O Código da Inteligência. Como psiquiatra-escritor narra de uma forma simplificada os códigos da inteligência. Segundo Cury os códigos são capazes de apressar a liberação da criatividade, expandir os sistemas do pensamento, desenvolver a saúde psíquica e aprimorar a vida profissional. Embora bem escrito o livro é permeado de chavões, ditados populares e lições de vida que mais parecem fantasias pobres e baratas. A leitura é chata


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Como decifrar, com inteligente simplificação o código da inteligência.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Por mais que possamos procurar a racionalidade, a coerência e a serenidade, nenhum ser humano e 100% lógico. E se porventura alguém conseguir ser 100% lógico, racional, é aconselhável fugir dele, pois será um carrasco, um aparelho de reagir e julgar rígido. Estará preparado para se relacionar com máquinas e não com os imprevisíveis e contraditórios seres humanos. Só os computadores são invariavelmente matemáticos. Nem e desejável sê-lo Por que? Porque não apenas a irritabilidade, o egoísmo e a arrogância são frutos ilógicos da emoção, mas também o amor, a compaixão, a solidariedade e o perdão. Steven Pinker, professor de Psicologia e diretor do Centro de Neurociência Cognitiva no Instituto Tecnológico de Massachusetts, reconhece que ainda há muitos mistérios sobre a mente, a consciência, o "self", o significado, o conhecimento e a ética. Mas discordo quando diz que a mente e um sistema de órgãos de computação para resolver o tipo de problema que os nossos ancestrais enfrentavam para se manterem vivos (pinker, 2001). A mente só resolve os problemas de sobrevivência se for treinada, equipada, educada. Uma vez equipada com os códigos da inteligência, a capacidade de resolução mental ultrapassa os limites da lógica, tem uma versatilidade inatingível pelos computadores. Explique o que é o amor. Ele é inexplicável. Toda pessoa que ama e ilógica, se entrega mesmo sem ser correspondida. Quem tem paciência com quem erra, é ilógico. A paciência não pode ser prevista em um programa lógico de computador. É mais do que esperar, dar um intervalo de tempo - é uma intensão subjetiva, é confiar e dar crédito a quem não merece, pelo menos em um determinado momento. Quem se esquece de si mesmo e pensa na dor do outro também é ilógico.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Marco Aurélio me presenteou este livro em outubro de 2009.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2019
Todos os direitos reservados.