carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Todos os Homens do Presidente

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Todos os Homens do Presidente

Livro Ruim - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    0
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Carl Bernstein

Editora: Francisco Alves

Assunto: Jornalismo

Traduzido por: Tonie Thomson

Páginas: 283

Ano de edição: 1976

Peso: 480 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Ruim
Marcio Mafra
30/10/2004 às 11:58
Brasília - DF

Todos os Homens do Presidente, conta uma interminável "novela" que dominou a mídia mundial nos anos 70. Dois repórteres do jornal Washigton Post, Berstein e Bob, cujo investigação jornalística desvendou as manobras de políticos ligados ao Presidente Richard M. Nixon para neutralizar seus adversários. O livro mostra como os dois jornalistas conseguiram escrever tanto e durante tanto tempo num ambiente altamente competitivo, sobre um só tema. Os homens do Presidente são quase cinqüenta nomes - autoridades ou não - que foram alvo das investigações dos autores. A reportagem virou livro, filme, novela, folhetim, disco, reportagem de qualquer tipo ou dimensão, veiculado por qualquer tipo de mídia existente, como rádio, jornal, revista, TV, CD, DVD e, por mais incrível que possa parecer, também foi tema da prosaica literatura de cordel. Com tudo isso o livro continua sendo ruim. Ruim porque é como samba de uma nota só. Monocórdio, monótono, chato.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A história da investigação do Caso Watergate, em que dois repórteres descobriram as tramóias do partido do Presidente Nixon, que culminou com a sua renuncia à Presidência dos EUA.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Nas últimas semanas, Bernstein e Woodward vinham esperando com certa ansiedade o Dia das Eleições. O período final da campanha foi para eles o mais frustrante desde 17 de junho. Além do fracasso com Haldeman, vinham encontrando muralha atrás de muralha. Depois da auto-satisfação e do entusiasmo provocados pelas primeiras reportagens sobre as atividades de Segretti e as ligações Chapin-Kalmbach, o Post havia montado um imenso esquema de investigação, sob o comando de Sussman. Mais de uma dúzia de repórteres se revezavam no trabalho, pesquisando, analisando os acontecimentos políticos, redigindo esboços biográficos dos principais personagens, acompanhando os acontecimentos nos tribunais, no Capitólio (Congresso) e na Casa Branca. Foram poucos os fatos novos que vieram a luz: alguns contatos de Segretti, ações isoladas de sabotagem pelas forças de Nixon, evidências suplementares da limitação das investigações realizadas pelo FBI e pelos promotores federais. Bernstein e Woodward haviam recomeçado suas visitas noturnas. Nada. A eleição estava as portas. Algumas pessoas deram a entender que talvez começassem a falar mais abertamente depois da vitória de Nixon.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Não há


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2019
Todos os direitos reservados.