carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Clarissa

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Clarissa

Livro Ótimo - 1 comentário

  • Leram
    2
  • Vão ler
    4
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    2

Autor: Érico Veríssimo

Editora: Círculo do Livro

Assunto: Romance

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 202

Ano de edição: 1979

Peso: 325 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Ótimo
Marcio Mafra
24/10/2004 às 00:03
Brasília - DF

Marcio Mafra - Data: 24/10/2004 - Conceito : Muito Bom



Érico Veríssimo é escritor gaúcho, talvez o maior deles. Todas as suas histórias são densas, com fachada, conteúdo e alma. Alma dos pampas. Olhai os Lírios do Campo, é seu romance mais popular. O Tempo e o Vento, o maior e mais famoso. Seus quase 50 livros foram traduzidos em quase todo o mundo. Clarissa - embora sendo um romance cuja história se inicia com a chegada da personagem a Porto Alegre, é marcado pelo bom sotaque e modos "gauchês". Uma história simples, da menina que se faz mulher. Romântica, nela tudo encanta, porque tem a inocência dos jovens e a gostosura das coisas que ainda não sofreram as deformações da sociedade. Até a última frase do romance, "falada" por um papagaio, permanece o "encanto da inocência".


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Clarissa, recém chegada do interior, vai morar numa pequena pensão em Porto Alegre e descobre a vida aos poucos, ora tranqüila, ora aos sobressaltos. Seu sonho, porém, é maior do que tudo.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Vem do corredor um rumor de passos. Clarissa esconde apressada o livro que esta lendo. Olhos parados, fica imóvel, escutando. Os passos se afastam, morrem no fundo do corredor. Clarissa torna a abrir o livro. Um romance. Tem de ler as escondidas. A titia não gosta de livros que não sejam os do colégio. Diz que os romances prejudicam a cabeça duma menina que estuda. O nome do livro é: A que morreu de amor. .. Está no quinto capítulo. E com uma curiosidade enorme de saber se Márcio no fim vai casar com Elfrida. Oh! Ela imagina o Márcio um moço alto e simpático como Gary Cooper. Tem de ser assim, mesmo que o autor do livro não queira. Elfrida, lourinha delicada, só pode ser assim como a Jean Harlow, com a diferença de que a heroína do romance á calma, quieta, comportada. Márcio é pintor. Elfrida, filha de um milionário. Os dois se encontram numa exposição de quadros. Olham-se, gostam-se, falam-se. Márcio volta para casa, encantado. Mora numa "mansarda". Por que e que nos romances sempre há mansardas? E que será mesmo mansarda? Deve ser uma casa muito velha, muito pobre. Com Márcio mora Alfredo, um músico. Quando Alfredo apareceu no romance, Clarissa pensou logo em Amaro. Por que? Porque o Alfredo também e músico? Não foi só por isso: foi porque também o Alfredo é triste e calado como Amaro. Oh! Mas o Márcio é um rapagão alegre, corado, que canta no banheiro, que joga tênis ... Clarissa está tão absorta na leitura que nem ouve os ruídos da pensão: a cantiga molenga e desafinada da Belmira, que está na varanda arrumando os pratos para a janta, as risadas do velho Nico Pombo, a música do rádio que vem da casa grande da vizinhança."


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Este livro não tem historia


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2019
Todos os direitos reservados.