carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Na Esteira dos Tempos

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Na Esteira dos Tempos

Livro Bom - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    0
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Benedito Valadares

Editora: Senado Federal

Assunto: Discurso

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 236

Ano de edição: 1966

Peso: 545 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Bom
Marcio Mafra
25/09/2002 às 14:42
Brasília - DF

Não é um grande livro. O autor não era literato, intelectual, nem escritor. Era um político matreiro, poderoso, festejado, respeitado e temido. São famosas algumas de suas citações como "saídas" políticas à situações de "saia justa". Para conhecer algumas, só lendo "na esteira dos tempos".


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Quase 60 discursos proferidos por Benedito Valadares, entre os anos de 1947 e 1966.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Meus Senhores - É prazer e honra tomar parte numa reunião do Clube dos 21. A finalidade dêste Clube é a harmonia. É um clube de ritmo; quase um côro de igreja. Na orquestração de suas vozes, não há mais alto nem mais baixo, sons que se ajuntam na beleza da sinfonia. O altar é o da Pátria, nem por isto se pode queimar menos incenso. Na alegria da fé, não há turíbulos que bastem. Não se pede muito , quando se pede para todos. Ê esta a orquestra dos 21. De Norte a Sul, só se ouve o mesmo tambor, apregoando a união sagrada. Êste clube é uma inspiração. Os 21 Estados aqui representados só falam a linguagem alta de entusiasmo e de esperança. Nenhum murmúrio dissonante, nenhum gesto de desalento. A expressão da grandeza de cada um representa o esfôrço de todos. Daí, a fortaleza da unidade da Pátria. Esta pregação enobrece. Ê de São Paulo que ela parte. Não devia ser de outro lugar. Daqui saíram as bandeiras que acordaram nossos sertões. Daqui Pedro I proclamou a Independência. Daqui Castro Alves pregou a libertação dos escravos. Daqui se alteou a voz de Bilac conclamando a mocidade a animar as fileiras do glorioso exército. São Paulo comparece sempre na vanguarda dos grandes ideais. Ã altura de suas chaminés não a tinge a poeira das estradas. Daí todos se sentirem bem em tôrno da mesa que aqui se armou com o elevado pensamento de servir o Brasil. As vozes aqui se entoam sob a inspiração de tôda a terra brasileira. De Norte a Sul é a mesma toada dos que trabalham cantando. As de hoje se dirigem a Minas Gerais. Minas que se comove com os feitos de todos e não sabe exaltar os seus próprios senão como os do Brasil. No centro do país, Minas gravita na dependência dos outros Estados. Isto deixa de ser uma diminuição porque é um bem para a unidade da Pátria. Dessa compreensão depende o engrandecimento de que êste clube se fêz arauto. Em tôrno desta mesa se assentam personalidades das mais expressivas. Suas palavras de experimentados patriotas estimulam e entusiasmam. A clarinada de paz e de esperança que daqui se ergue lembra o velho conceito de Lamennais de que a união faz remover rochedos. Eu vos felicito; eu vos agradeço de todo o coração. São Paulo, abril de 1956


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Quando soube que o Senado havia publicado um livro contendo discursos de Benedito Valadares, apressei-me em conseguir um exemplar, pois talvez o mineiro mais famoso - mais raposa - da política mineira tenha sido o Benedito Valadares.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2019
Todos os direitos reservados.