carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Cocaína Tudo Sobre Drogas

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Cocaína Tudo Sobre Drogas

Livro Bom - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    1
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Cris-Ellyn Johanson

Editora: Nova Fronteira

Assunto: Drogas - Tóxicos

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 84

Ano de edição: 1988

Peso: 280 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Bom
Marcio Mafra
23/09/2002 às 13:56
Brasília - DF

O livro traz algumas curiosidades científicas e outras nem tanto. A verdade, indisfarçável é que se tornaram mais e mais comuns os casos de gente drogada. Todo leitor tem, pelo menos um conhecido, um amigo ou um parente viciado.O doce sonho dos anos 60 acabou. John Lennon morreu, os Beatles já eram. Hoje, só amargura e vício brabo! Ninguém sabe exatamente porque pessoas consomem drogas, assim como ninguém sabe quais saídas existem para alguém que mergulhou nas drogas.As conseqüências são funestas e inexoráveis. Vale a leitura.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Respostas objetivas, sérias, científicas para as perguntas e dúvidas mais freqüentes sobre a cocaína.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Apesar de muita gente acreditar o contrário, a cocaína é imediatamente absorvida pela corrente sangüínea quando ingerida por via oral. Os índios pré-colombianos que viviam na região andina mascavam as folhas de coca e até hoje esse é o principal modo de uso de cocaína nessa região. Um dos principais motivos que levavam os índios a usar a droga foi o fato de ela ajudar a vencer a sensação de cansaço e de fome. Como os efeitos da droga não são duradouros - de uma a duas horas, quando mascada -, os índios mantinham as folhas mastigadas dentro da boca, de modo que ao longo do dia fossem liberadas baixas concentrações de cocaína. Quando se mastigam as folhas, a cocaína é absorvida através das membranas da boca; se forem engolidas, a absorção faz-se no estômago e nos intestinos. Os índios peruanos misturam as folhas de coca com calou cinzas para facilitar a absorção da droga. Fora dos países produtores, a cocaína é mais freqüentemente usada na forma de pó, que é absorvido pelas membranas mucosas da boca, pelos canais nasais e pelo trato gastrintestinal. O que explica a preferência pelo pó é a dificuldade para se contrabandear grandes quantidades de folhas de coca através das fronteiras. Conseqüentemente, é o cloridrato de cocaína, extraído das folhas de coca, que constitui problema fora dos países andinos, para onde é transportado e vendido ilegalmente. Para elevar os lucros, o cloridrato de cocaína costuma ser diluído ou adulterado com açúcares, anfetaminas ou anestésicos, produtos mais baratos e acessíveis nas regiões onde a droga será consumida. Assim, a cocaína vendida aos usuários tem uma pureza de apenas 12 a 75 % e expõe o consumidor a outras substâncias, desconhecidas e potencialmente perigosas. No final do século XIX, a cocaína às vezes era ingerida oralmente, após ser dissolvida em elixires e vinhos. Essas soluções eram anunciadas como drogas milagrosas capazes de curar todos os males, reduzir a fadiga e melhorar a disposição. Embora a cocaína possa provocar seus efeitos característicos quando ingerida em solução, eles são relativamente menos intensos que os efeitos provocados quando consumida de outras maneiras.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Quando trabalhávamos no Setor de  Industria e Abastecimento, com um deposito da distribuidora de cosméticos S.Judas  passou alguém vendendo livros sobre tóxicos, compramos Cocaína Tudo Sobre Drogas para colaborar com o vendedor.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2019
Todos os direitos reservados.