carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Você está aqui Principal / Livros / Eragon

Eragon

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Eragon

Livro Muito Bom - 2 opiniões

  • Leram
    8
  • Lendo
    0
  • Vão ler
    20
  • Relendo
    0
  • Recomendam
    4

Autor: Christopher Paolini

Editora: Rocco

Assunto: Adolescente

Traduzido por: Nelson Rodrigues

Páginas: 460

Ano de edição: 2003

comentar
  • lido
  • lendo
  • vou-ler
  • re-lendo
  • recomendar
tenho
trocar
empresto
doar
aceito-doação
favorido
comprar
quero-ganhar

 

Muito bom
Raphael Zanon
02/07/2013 às 18:08
Rio de Janeiro - RJ
O livro é muito bom, capaz de prender o leitor do início ao fim. No entanto o filme não faz justiça a obra literária.

Muito bom
Ingrid C Delamura Faquim
21/11/2012 às 08:51
Mirassol - SP
Quem leu o livro e não viu o filme, não veja, não vale a pena, traumatiza e pode até mesmo fazer com que você não queria ler os demais livros da série. E os livros valem a pena.

Ingrid C Delamura Faquim
21/11/2012 às 08:44
Mirassol - SP

“Eragon” conta a história de Eragon, um garoto de 17 anos que mora em uma vila isolada do reino de Alagaësia com o tio e o primo. São camponeses humildes, mas muito honestos. O garoto sai para caçar nas montanhas e no chão algo desperta a sua atenção: uma pedra azul. Por ser muito bonita ele decide guardá-la e levá-la para casa. Com o passar dos dias o que ele acha não passar de uma pedra se revela um ovo e choca. Sem saber de qual animal se trata ele sente um pouco de dificuldade para alimentar e cuidar do bichinho. Mais tarde ele descobre que o animal é um dragão e ao tocá-lo ele fora marcado na mão e no pulso. Eragon cria uma relação muito especial com o dragão fêmea que ele chama de Saphira e ela o adota como o seu cavaleiro. Mas essa descoberta não vai ser nada tranqüila para Eragon. Em primeiro lugar, os dragões estavam praticamente extintos, o que poderia atiçar a cobiça alheia. Em segundo lugar, ele era apenas um jovem camponês sem recursos e não poderia tratar adequadamente um dragão. Em terceiro lugar, não tinha onde “guardar” Saphira e se deixasse ela solta na natureza seria uma loucura. Então Eragon decide manter o seu dragão em segredo até decidir o que fazer. No entanto o seu segredo não dura muito e o perverso rei que também possui um dragão, mas com interesses escusos, começa a perseguir o garoto e acaba fazendo muito mal aos seus familiares. Eragon escapa e conhece Brom, um contador de histórias e ex cavaleiro de dragão que vai ajudá-lo a se tornar um verdadeiro cavaleiro de dragão. E é a partir deste encontro que uma verdadeira amizade começa a surgir e a grande jornada de Eragon se inicia. Ele encontrará povos fantásticos, combaterá ao lado de elfos, conhecerá outros cavaleiros de dragões, Saphira terá que lutar contra outros dragões, mas também fará amizades com outros seres semelhantes a ela. A narrativa é muito simples, muito gostosa de ler, as descrições são ótimas, os seres inseridos na história são adoráveis e também detestáveis. Não me senti entediada em momento algum. É um bom livro. Paolini não traz nada de novo. Segue a receita de livros que agradam, sem nada demais, mas é divertido pelo lazer e quem gosta de literatura fantástica com um pouco de conto de fadas, fica uma boa sugestão.

Ingrid C Delamura Faquim
21/11/2012 às 08:44
Mirassol - SP

Prólogo: Espectro do medo O vento uivava na noite, carregando um aroma que mudaria o mundo. Um Espectro alto ergueu a cabeça e cheirou o ar. Ele parecia humano, exceto pelo cabelo carmesim e olhos castanho-avermelhados. Surpreso, piscou os olhos. A mensagem estava correta: eles estavam aqui. Ou seria uma armadilha? Ele ponderou e, depois, disse friamente: — Espalhem-se. Escondam-se atrás das árvores e dos arbustos. Detenham qualquer criatura que se aproximar... ou morrerão. À sua volta doze Urgals moviam-se desordenadamente, empunhando espadas curtas e escudos de ferro redondos com símbolos pretos. Pareciam homens de pernas curvadas e de braços grossos e brutos, feitos para destruir. Um par de chifres retorcidos brotava acima de suas pequenas orelhas. Os monstros foram correndo em direção aos arbustos, grunhindo enquanto se escondiam. Logo, o barulho de folhas sendo agitadas parou, e a floresta ficou silenciosa de novo. O Espectro olhou em volta de uma grande árvore e, depois, para a trilha. Estava escuro demais para que qualquer humano pudesse enxergar, mas para ele o fraco luar parecia a luz do sol descendo por entre as árvores. Cada detalhe mostrava-se nítido e exato para o seu olhar inquiridor. Permaneceu estranhamente em silêncio, segurando uma longa espada fosca. A arma era fina o bastante para penetrar entre duas costelas, porém era suficientemente forte para atravessar a armadura mais resistente. Os Urgals não podiam enxergar tão bem quanto o Espectro; tateavam como mendigos cegos, manuseando suas armas atabalhoadamente. Uma coruja piou, ragando o silêncio. Ninguém relaxou até o pássaro voar dali. Os monstros tremiam na noite fria. Um deles quebrou um graveto com a sua bota pesada. O Espectro sibilou furioso, e os Urgals se encolheram, imóveis. O Espectro conteve sua repulsa - os monstros fediam à carne podre - e se virou. Eles eram meros instrumentos, nada mais. O Espectro pôs sua paciência à prova quando os minutos se tornaram horas. O aroma se propagava muito à frente dos que o exalavam. Ele não deixou que os Urgals se levantassem ou se esquentassem. Também negava esses luxos a si mesmo, permanecendo atrás de uma árvore, observando a trilha. Outra rajada de vento cortou a floresta. O cheiro estava mais forte dessa vez. Excitado, ergueu o lábio fino, mostrando os dentes. — Preparem-se — sussurou. Seu corpo todo tremia. A ponta de sua espada se movia em pequenos círculos. Foram necessários muitos planos e muito sacrifício para colocá-lo ali, naquele momento. Não podia perder o controle agora. Os olhos dos Urgals brilhavam abaixo das grossas sobrancelhas, e as criaturas seguravam suas armas com mais força. À sua frente, o Espectro ouviu um tinido, como se algo tivesse batido com força em uma pedra solta. Vultos indistintos emergiram da escuridão e avançaram pela trilha.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Ingrid C Delamura Faquim
21/11/2012 às 08:44
Mirassol - SP

Quando assistí ao filme Eragon fiquei interessada pela história. Como sei que todo livro que vira filme , o filme deixa a desejar, optei em ler. Acabei adorando a série e li os outros dois livros que seguem e estou esperando para ler o último da série.


 

Para baixar ou visualizar o E-BOOK é necessário logar no site.
Clique aqui! para efetutar seu login.

 

Não tem uma conta?
Clique aqui e crie a sua agora!