carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Ponto de Impacto

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Ponto de Impacto

Livro Ótimo - 6 opiniões

  • Leram
    29
  • Vão ler
    35
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    14

Autor: Dan Brown

Editora: Sextante

Assunto: Romance

Traduzido por: Carlos Irineu da Costa

Páginas: 440

Ano de edição: 2005

Peso: 560 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 


Excelente
José Marcio Malaquias da Silva
01/12/2018 às 22:46
Juiz de Fora - MG
Excelente. Os capítulos são cheios de ação, suspense e aventura. Seus personagens são carismáticos e marcantes. Nessa aventura acompanhamos uma dupla por diversos lugares e situações de perigo iminente. Um ótimo livro para entreter o leitor. Emoção desde a primeira página.


Excelente
Julio de Souza Senne
20/10/2016 às 08:44
Carapicuíba - SP
Um excelente livro, amei cada capitulo, um capitulo me prendendo ao próximo. Espero poder ler outros livros do mesmo autor!

Bom
Anderson de Azevedo Bernardo
19/12/2014 às 00:02
São Paulo - SP
Confesso que fiquei um pouco decepcionado! A narrativa se estende além do necessário! Durante as 100 primeiras páginas, o livro tenta te deixar num suspense que não faz sentido! Os pensonagens ficam o tempo todo tentando colocar na sua cabeça que a descoberta é extraordinária... além da imaginação... "Nunca antes na história da humanidade houve uma descoberta como essa" e que ser humano nenhum pode imaginar o que seja... mas, no fim das contas, era algo que a protagonista já tinha considerado anteriormente! Sem contar que a mesma vai passando por várias situações e locais diferentes, conversando com pessoas dos diversos escalões do governo e ninguém fala o que é! Só ficam dizendo "É algo incrível", você não faz idéia"...

Até a metade deste livro, parecia que eu estava lendo "Anjos e Demônios", pois os personagens, o roteiro que eles seguem e as situações que vão acontecendo são muito parecidas!

Mas não posso deixar de destacar que o livro deu uma virada da metade pro final que me prendeu! Principalmente uma situação no Ártico que os personagens têm que fugir que me deixou alucinado!!!

Se eu não conhecesse outras obras do Dan Brown, classificaria este livro como Ótimo, mas como não é o meu caso, classifico como Bom, pois, até a metade do livro, o mesmo não me despertava o interesse. Continuei a ler, acreditando numa virada, que veio da metade em diante!


Excelente
Valéria Cristina Santos de Oliiveira
21/11/2012 às 14:30
São Paulo - SP
Adorei.


Ótimo
Glaydson Souza
05/09/2012 às 14:27
Fortaleza - CE


O melhor livro de Dan Brown. Bem superior ao Código da Vinci. Daria um filme excelente.



Bom
Elias Marinho
13/09/2011 às 16:25
Santa Maria - DF

Excessivamente extenso. Dan Brown é um gênio, isso é indiscutível, porém, este livro perto do Código da Vinci, sua obra-prima, parece um treino para escrever aquele. Não se trata de preguiça minha, pois para mim, livro bom pode ter 1.000 páginas que não me importo, porém, a imagem que fica é que livro do Dan Brown que não tenha mais de 500 páginas é sinal de livro ruim, o que sabemos que não é a verdade.

Ele se prolonga demais na narrativa, com detalhes principalmente técnicos que chega a cansar o leitor, somente a partir da centésima página que você começa a sentir algum prazer na leitura. Todavia, não é possível negar os pontos positivos da obra e principalmente do autor, pois somente Dan Brown consegue prender o leitor em uma narrativa de 24 horas, com um ritmo frenético de acontecimentos que leva o leitor de um ponto a outro do mundo, com informações de funcionamentos de agências de segurança nacional a fantásticos equipamentos militares, mostrando-nos tecnologias que nem em nossos sonhos mais loucos podemos imaginar.

Como já falei em outros comentários, os livros do Dan Brown prendem você à narrativa de uma forma que nenhum outro autor consegue. Porém, esse certamente não é o melhor livro dele, não o indicaria a um amigo, principalmente se ele não for um leitor frequente, pois ele se cansaria rapidamente.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A historia da descoberta pela Nasa de um meteorito no Ártico que possui fósseis de vida alienígena. Porém, essa descoberta guarda segredos que podem decidir o futuro ocupante da Casa Branca e determinar os rumos da corrida espacial, e para que esses segredos continuem bem guardados ou que venham à tona, uma grande quantidade de pessoas, incluindo um influente senador americano e um grupo de cientistas civis se verão envolvidos em uma busca de vida ou morte. "Se esta descoberta for confirmada, com certeza será uma das mais incriveis revelações sobre nosso universo já feitas pela ciência.Suas implicações são tão vastas e impressionantes que ultrapassam nossa imaginação. Ao mesmo tempo que promete responder à algumas de nossas mais antigas perguntas, ela nos coloca diante de outras ainda mais fundamentais." Presidente Bill Clinton, em uma coletiva de imprensa após a descoberta conhecida como A L H 84 001 no dia 7 de agosto de 1997.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

“O Administrador concordou:
- Não temos muito tempo. A coletiva vai ao ar dentro de poucas horas.
- Estarei de volta em 20 minutos.
- Até que ponto da geleira você disse que precisa ir?
- Não muito longe. Duzentos metros devem bastar.
- E você tem certeza que é seguro?
- Levarei foguetes sinalizadores – respondeu Norah. – E Mike irá comigo.
Tolland olhou para ela, surpreso.
- Vou?
- Mas que droga Mike, claro que vai! Vamos estar unidos por cordas. Vou precisar de um par de braços fortes lá fora se houver uma rajada de vento.
- Mas ...
- Ela está certa – disse o administrador, virando-se para Tolland. – Se ela for, alguém deve ir junto. Eu mandaria alguns de meus homens, mas, francamente, preferia manter essa historia toda entre nós até concluirmos se é ou não um problema real.
Tolland não teve outra saída senão aceitar.
- Quero ir também – disse Rachel.
Norah virou-se para ela como uma cobra dando um bote.
- De jeito nenhum! Você fica!
- Pensando bem – disse o administrador-, eu me sentiria mais seguro se usássemos o grupo-padrão de quatro pessoas amarradas. Se forem em dupla e Mike escorregar, você não será capaz de segurá-lo. Quatro pessoas estarão mais seguras que duas. – Fez uma pausa, olhando para Corky. – Isso significa que o quarto neste grupo será você ou o doutor Ming. – Ekstrom olhou em volta na habisfera. – Aliás, onde está ele?
- Faz algum tempo que não o vejo – respondeu Tolland. – Talvez este tirando uma soneca.
Ekstrom virou-se novamente para Corky.
- Doutor Marlinson, não posso exigir que vá com eles, mas...
- Bom, fazer o quê – disse Corky. – Já que estamos todos nos dando tão bem...
- Não! Protestou Norah. – Um grupo de quatro irá nos atrasar. Mike e eu vamos sozinhos.
- Vocês não vão sozinhos – ordenou o administrador. – Há um motivo pelo qual os grupos são sempre de quatro e vamos trabalhar da forma mais segura possível. A última coisa que quero é um acidente poucas horas antes da maior coletiva de imprensa em toda a historia da NASA.


  • Dan Brown é acusado de plágio por escritores britânicos

    Autor: Andreisa Caminha

    Veículo: Internet

    Fonte:

    A Random House, editora responsável pela publicação do sucesso de vendas O Código da Vinci, está sendo processada por violação dos direitos de propriedade intelectual. Para facilitar o entendimento, Dan Brown foi acusado de, supostamente, copiar as idéias principais de The Holy Blood and the Holy Graal, livro escrito por Michael Baigent e Richard Leigh há 22 anos atrás. Os dois acrescentam que há várias referências específicas a seu livro, como, por exemplo, o nome do personagem Leigh Teabing. Leigh seria Richard Leigh, enquanto Teabing, de forma combinada diversa, constitui o sobrenome Baigent.

    De acordo com John Baldwin, advogado da editora, grande parte do tema central de The Holy Blood and the Holy Graal, que os autores alegam ter sido plagiado, não aparece em O Código da Vinci. Além disso, Baldwin acrescentou que as idéias que os dois historiadores tentam defender são muito gerais, não são protegidas pelos direitos autorais. Brown admitiu que utilizou o livro de Baigent e Leigh como fonte de pesquisa, até mesmo fez uma citação sobre isso em sua obra. Por sinal, são notáveis algumas referências aos historiadores britânicos em O Código da Vinci, como, por exemplo, o nome do personagem Leigh Teabing. Leigh teve origem em Richard Leigh, enquanto Teabing, agrupado de maneira diversificada, forma o sobrenome Baigent.

    Não é a primeira vez que Dan Brown é acusado de plágio. Em agosto de 2005, o autor ganhou um caso judicial contra Lewis Perdue, que denunciou que O Código da Vinci tinha copiado elementos de seus romances Daughter of God e The Da Vinci Legacy.Traduzido para 44 idiomas, o best seller atingiu uma marca de 40 milhões de exemplares vendidos em todo o mundo, fazendo com que Brown, apenas no período de junho de 2004 a junho de 2005, levantasse uma quantia de 76,5 milhões de dólares. O resultado do atual julgamento pode acarretar em um adiamento ou, até mesmo, anulação do lançamento do filme, cuja data de estréia é 19 de maio.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Em nossa empresa, fomos agraciados em receber uma caixa de livros que foi presenteada por um amigo do Marcio Mafra, dentre os vários volumes havia o Ponto de Impacto. Considerando que já li todos os demais livros do autor publicados no Brasil, não poderia deixar escapar esse também


 

Para baixar ou visualizar o E-BOOK é necessário logar no site.
Clique aqui! para efetutar seu login.

 

Não tem uma conta?
Clique aqui e crie a sua agora!

 

 

 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2019
Todos os direitos reservados.