carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Poesia Erótica

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Poesia Erótica

Livro Ótimo - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    2
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    1

Autor: Não Consta Autor

Editora: Companhia de Bolso

Assunto: Erotismo

Traduzido por: José Paulo Paes

Páginas: 199

Ano de edição: 2006

Peso: 170 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Ótimo
Marcio Mafra
20/01/2007 às 12:05
Brasília - DF

José Paulo Paes, organizador e tradutor do Poesia Erótica, nasceu em Taquaritinga, São Paulo, em 1926. Estudou química industrial em Curitiba, onde publicou seu primeiro livro de poemas, em 1947. Trabalhou num laboratório farmacêutico e numa editora de livros, aposentando-se para poder dedicar-se inteiramente à literatura. Tradutor e também poeta, morreu em 1998, aos 72 anos. Publicou: A aventura literária; Prosas seguidas de Odes mínimas; Uma letra puxa a outra; Um número depois do outro; A revolta das palavras e Ri melhor quem ri primeiro. José Paulo Paes, ao traduzir e organizar o Poesia Erótica surpreende não apenas pelos poemas que publica, como pela biografia e história dos mais de 40 autores mencionados. São poesias gostosas, picantes, apaixonadas, obviamente contendo muita sexualidade. Todas da lavra de autores muito famosos.


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Poesias eróticas de: Da antologia Grega Catulo Marcial Ovídio Da priapréia e muitos outros autores

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Os poemas mais destacados: Soneto. Do século de ouro espanhol.

- Que quer de mim, senhor? -

Filha, foder-te.

- Diga com mais rodeios.

- Cavalgar-te.

- Diga ao modo cortês.

- Então, gozar-te. -

Diga ao modo pateta.

- Merecer-te.

- Bem hajas que consigo compreender-te e mal haja quem peça de tal arte. Depois, o que farás?

- Arregaçar-te e com a pica alçada acometer-te.

- Tu sim hás de gozar meu paraíso.

- Que paraíso? Eu quero é minha porra metida bem no fundo do teu racho.

- Com que rodeio o dizes, tão precioso!

- Caluda, amor, que de prazer já morra, fodendo-te, eu por cima, tu por baixo.

 

Galo, da Antologia Grega "

...A três homens eu,

Lide, servi com a maior presteza: um sobre o ventre, outro debaixo e o outro atrás.

Recebo pederastas, mulherengos, extravagantes.

Se tendes pressa, que entrem os dois sem hesitar.

 

Livro V, epigrama 49 ...Da Priapréia

..."A vantagem do pênis de Priapo Leva a maior das vantagens o meu pênis: para mim mulher alguma é larga....."

 

...."Dos Carmina Burana

.....Canção Não tateio o por que anseio; olho-te em cheio sem receio nem rodeio e o que saboreio me fascina.

Experimenta, menina, o membro viril: quando já senil, é fraco, vil; se ainda juvenil, é papa-fina, um utensílio nímio, exímio, ágil, grácil, cálido, válido, gentil, febril, varonil e coisas mil. ....

 

" Uma Puta Rochester "

...Era uma puta precoce e consumada: Deu no ventre da mãe uma guinada

Tal que juntou cona a cona e, maravilha, O pai fodeu conjuntas mãe e filha.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Comprei este livro numa promoção de 10 reais o volume, feita pela Submarino em, julho 06.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2020
Todos os direitos reservados.