carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Contos Eróticos

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Contos Eróticos

Livro Bom - 1 opinião

  • Leram
    1
  • Vão ler
    4
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Flavio Moreira da Costa

Editora: Ediouro

Assunto: Erotismo

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 204

Ano de edição: 2005

Peso: 220 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar
tenho
trocar
empresto
favorido
comprar
quero-ganhar

 

Bom
Marcio Mafra
21/01/2007 às 10:37
Brasília - DF

Contos eróticos é uma seleção, ou contos coligidos, pelo organizador Flávio Moreira, para uma edição, festiva, da Revista Nova. São 20 contos seletos, porém, nada originais. É uma repetição de outras seleções. Talvez o melhor deles seja Penélope, embora antigo:


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Vinte contos eróticos.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Penélope ...Ora, precisamente naquela tarde, tendo deixado o seu automóvel no canto da avenida, a generala Alda Guimarães subia a Rua do Ouvidor a pé, para a prova dos vestidos de meio luto no grande costureira da moda.
La, como sempre, impenetrável. Alda Guimarães, que extraordinária mulher! Quando o marido morrera seis meses antes, ela já tinha uma legenda de honestidade heróica. O general, seu padrinho de batismo, e seu esposo, casara aos sessenta anos quando ela tinha vinte. Em vez de ciumento era paternal; em vez de fechá-la, passeava-a por todos os salões, dava recepções, queria mostrá-la como o facho da sua glória. E, apesar dos maldizentes dizeres Alda quase virgem, nunca ninguém ousou lhe atribuir sequer um flerte. Alda não amava o marido como a Romeu, mas respeitava-o. Assim, morto o marido e ela rica, bela, esplêndida, séria o entusiasmo em torno da sua carne e da sua fortuna foi grande. Rapazes das melhores famílias, aos quais nunca dera atenção, propunham-se para amantes e para maridos; maridos das suas amigas faziam questão de consolá-la. Se não se fechasse, teria a impressão de que a punham num leilão.
Alda Guimarães fechara-se no seu palacete da São Clemente. A sociedade causava-lhe mais horror sem a companhia do seu velho esposo. Certo não agia de tal modo por hipocrisia, e sim porque nunca amara, porque lhe parecia impossível o desejo e ainda mais o prazer. À sua camarada, a senhora Lúcia de Villaflor, cujos amantes eram inumeráveis, ela confessava:
- Que hei de fazer, se não sinto simpatia por ninguém?
- Mas, minha querida, uma senhora bonita e rica, sem um homem! - Irei viajar com a Leônia, ao acabar o luto.
Estava convencida da própria invulnerabilidade. E ria, ao pensar.


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Em julho de 2006, a Submarino fez uma promoção na qual vendeu livros a 10 reais. Nada que permitisse uma extraordinária seleção de títulos.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2018
Todos os direitos reservados.