carregando

Aguarde por gentileza.
Isso pode levar alguns segundos...

 

Cacos Para Um Vitral

Para usar as funcionalidades você precisa estar logado(a). Clique aqui para logar
Erro ao processar sua requisição, tente novamente em alguns minutos.
Cacos Para Um Vitral

Livro Excelente - 1 comentário

  • Leram
    1
  • Vão ler
    4
  • Abandonaram
    0
  • Recomendam
    0

Autor: Adelia Prado

Editora: Record

Assunto: Romance

Traduzido por: Livro Editado em Português do Brasil

Páginas: 109

Ano de edição: 2006

Peso: 180 g

Avalie e comente
  • lido
  • lendo
  • re-lendo
  • recomendar

 

Excelente
Marcio Mafra
14/01/2007 às 08:54
Brasília - DF

A Adélia Prado, escreve o romance, como se estivesse no quintal de sua casa, em Divinópolis, sentada nos degraus da pequena escada que leva à sala de visitas, com uma bacia de laranjas por entre as pernas, descascando-as e chupando-as, enquanto vai contando a história da Maria da Glória e seu marido Gabriel. Os cacos de vitral são metáforas muito bem urdidas, para explicar a vida, o comportamento dos personagens, suas almas, suas emoções e seus destinos, seus objetivos e suas religiosidades. Tudo sempre com muita graça, beleza, cumplicidade, humor, ingenuidade e candideza. Cacos Para Um Vitral é um livro que utiliza o pedaço de vidro não apenas para compor um vitral, mas, sim, para fazer uma catedral completa, inteira. Leitura boa, fácil, rica e gostosa. Prazer purinho!


Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

A história da professora Maria da Gloria, mulher do Gabriel, em busca da perfeição divina, no formato de pedacinhos de vida, amor, encanto e poesia, extraídos da vida pacata de uma cidade do interior, que dão forma a um esplêndido vitral.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

"...Glória decifrou o garrancho na nota de um cruzeiro: "Ontem fiz quinze anos e fui a primeira vez na Figueirinha. Dei Cr$ 50,00 pra mulher ela ainda me deu troco. Não tava ruim nem bom."

...."Juca entrou esfregando as mãos: - Tá um frio de matar velho! - Se quer capote, na segunda prateleira da cozinha tem. Juca bebeu e saiu. Tivesse ou não, brigado com a Naná, a cada dia ele bebia mais. Estará certo, pensou Glória, facilitar desse modo a cachaça do Juca? Estarei sendo leviana? Estava....." ...."Ritinha: - Mãe, se eu morrer cê chora? Glória: - Ih! Choro até secar. ..."

...."Glória ouviu de relance os peões almoçando na obra: - Rico tinha que nascer tudo morfético. - Tem rico legal, sô! - Tem não....."

...."Ritinha chegando da escola: - Mãe, eu laía e a Fostina envinha. Ela envinha aqui? - Que é isso? Existe o verbo lair e envir? - A senhora também fala assim. - Falo mesmo. - Então... - Então nada. É porque eu gosto muito da minha filhinha e quando a gente gosta, chateia um pouquinho....."

...."Anselmo Vargas beijava Sônia Margot na novela das sete. O menininho de Matilde pediu: mãe, muda o programa. Meu pintinho fica ruim. ...."

..."Laudelina chegou bem na hora em que Glória cobria o bolo de Ritinha. Chegou de bolsinha preta, caneta e folha de almaço parecendo rifa...."

..."Gloria teve vontade de estapear claudina que veio lhe devolver um livro de Guimarães Rosa, dizendo com sua fala embatumada: um autor assim não ajuda em nada a melhorar o vocabulário. Ele escreve popular demais. Claudia fazia curso de letras e dizia poblema...."

...." Dona Glória, eu fiquei incurvida. - O quê? - É, sobrou pra mim a obrigação de catar neste quarteirão as esmolas pro Natal dos pobres. - Ah! - O apostolado, cuja eu sou membra é que me incurviu....."

..."A placa indicava na estradinha de chão: Sítio do Au Puro. Alguém tinha consertado: Sítio do Ar Puro. Gabriel parou o carro e escreveu em baixo, sítio do Al Puro. No lugar voava sem pressa uma linda borboleta amarela e preta...."

..."Copiado por Gabriel, do sanitário da rodoviária: Pede não horinar no vás...."

..."Remexendo papéis, Glória achou uma notação com sua letra: "retalho de poesia dá excelente prosa." Não se lembrava mais por que escrevera aquilo. "Retalho de poesia dá excelente prosa, como retalho de hóstia dá excelente sopa...."


Nenhuma informação foi cadastrada até o momento.

Marcio Mafra
18/01/2013 às 19:17
Brasília - DF

Este foi um dos livros que comprei durante a Flip, em agosto de 2006, em Parati, Rio.


 

Receber nossos informativos

Siga-nos:

Baixe nosso aplicativo

Livronautas
Copyright © 2011-2019
Todos os direitos reservados.